Notícias

Ver todas

Jornal UFG

See All

Eventos

  • coloquio iptsp 16-5-22

    Colóquio Nacional da História da Loucura na Luta Antimanicomial e pela Saúde Coletiva

    16 May - 20 May

     

    Para se inscrever no evento, clique aqui.

    Para acompanhar a transmissão do evento, clique aqui.

    coloquio iptsp 16-5-22

    IPTSP promove Colóquio Nacional da História da Loucura na Luta Antimanicomial

    Evento on-line acontece nos dias 16 a 20 de maio 

    O projeto de extensão "Memória da Saúde Mental em Goiás" do departamento de Saúde Coletiva do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública (IPTSP) da Universidade Federal de Goiás (UFG), promove de 16 a 20 de maio de 2022, o Colóquio Nacional da História da Loucura na Luta Antimanicomial e pela Saúde Coletiva, cujo tema é “Retrocessos fascistas e avanços do neoliberalismo imperialista no desmonte da Reforma Psiquiátrica e da Saúde Pública”. O evento será transmitido das 19h às 22h, pelo Canal da UFG Oficial, no YouTube. Também estão na organização do evento o Grupo de Pesquisa em História da Loucura - La Folie, da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás) e o Sarau (R)Existimos: “Tecendo prosas, versos, cantorias e autonomias como cuidado em saúde mental”, projeto coordenado pelo curso de Psicologia  da Faculdade de Educação (FE/UFG)

    O evento comemora a data 18 de maio, ocasião do Dia Nacional da Luta Antimanicomial, que se caracteriza pela luta dos direitos das pessoas com sofrimento mental. Coordenado pela  professora do IPTSP, Larissa Arbués Carneiro, vinculada ao departamento de Saúde Coletiva, o projeto “Memória da Saúde Mental em Goiás”, visa ser um espaço de interlocução, sistematização e visibilidade da Memória da Saúde Mental no estado de Goiás, e seus eixos de atuação envolvem: a conservação, guarda e apoio a salvaguarda de documentos históricos da Saúde Mental em Goiás; o  Museu Virtual da Saúde Mental, exposições temporárias e mostras itinerantes abertas ao público e ainda a formação, educação, produção e divulgação acadêmica sobre a Luta Antimanicomial e ainda sobre a Reforma Psiquiátrica em Goiás. 

    A professora Larissa Arbués explica que os temas do Colóquio aliam o passado e o presente para ajudar a refletir sobre o futuro da política de saúde mental no Brasil e da luta social em torno do tema. “O manicômio de hoje é sinônimo da, ainda, exclusão, preconceito, falta de acesso à cuidados e todos os desafios para se garantir cidadania às pessoas com demandas de saúde mental. É muito mais que questionar e denunciar as violências de dentro dos muros das instituições que cerceiam a liberdade e que, por incrível que pareça, ainda é uma denúncia necessária. Achávamos que havíamos superado nesses mais de 30 anos de luta antimanicomial no país e 21 anos de Reforma Psiquiátrica, instituído pela lei nº 10.216, de 6 de abril de 2001, que reorientou nosso modelo de atenção em saúde mental, mas não foi bem isso”, finaliza Arbués.

    A luta antimanicomial no Brasil, possui dois marcos históricos importantes no ano de 1987: o Encontro Nacional de Trabalhadores de Saúde Mental e a Conferência Nacional de Saúde Mental e que resultou na mobilização do movimento, propiciando assim, mudanças fundamentais dos tratamentos de saúde mental. A atividade é aberta para a comunidade acadêmica e público geral, os interessados podem fazer a inscrição, que é gratuita, por esse link

    Contribuição

    O evento também integrará com o Sarau (R)Existimos, que é uma articulação  do Centro de Convivência e Cultura Cuca Fresca de Goiânia, da Associação de Usuários dos Serviços de Saúde Mental, do Coletivo Desencuca e da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS/SUS) de Goiás. O Sarau é coordenado pela professora Gardênia de Souza Furtado Lemos, do curso de Psicologia  da Faculdade de Educação (FE/UFG). 

    O "Sarau (R)Existimos. Tecendo prosas, versos, cantorias e autonomias como cuidado em saúde mental” é um coletivo de usuários, trabalhadores, docentes e discentes da UFG que propõem  valorizar, visibilizar e defender os serviços e equipamentos de saúde pública e de saúde mental do Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com a professora  Gardenia de Souza Furtado Lemos, a atual conjuntura sanitária, econômica, política e social do país, evidencia ainda mais a desigualdade social ao tempo em que ressalta a fragilidade das políticas públicas de proteção social. “Em relação aos serviços públicos de saúde mental, além das dificuldades inerentes à situação da condução da pandemia, e o subfinanciamento estatal, ainda são frequentes a incompreensão ou o desconhecimento acerca do modelo de cuidado em saúde mental em liberdade, ofertado pelos serviços e equipamentos da RAPS, com destaque aos Centros de Atendimento Psicossocial (CAPS), e este evento coloca luz a toda essa discussão”.

    O “Sarau (R)Existimos ainda busca estimular, por meio da pintura, da escrita, da música, dos sons e da poesia, entre outros, que as pessoas possam se expressar, fortalecer os vínculos comunitários e sociais, promovendo saúde, manutenção e desenvolvimento da autonomia, da liberdade ao mesmo tempo em que se pretende fomentar o conhecimento científico crítico e a formação acadêmica diversa e socialmente referenciada.

     

  • conbrasie

    Seminário de Religiosidade e Promoção de Cuidado em Saúde

    19 May - 21 May

    Estão abertas as inscrições e submissões de trabalhos para o Seminário de Religiosidade e Promoção de Cuidado em Saúde, ofertado pelo Projeto Conbrasie, uma ação interinstitucional, envolvendo a Universidade Federal de Jataí, a Universidade de Brasília e a Universidade Federal de Goiás.

    O evento ocorrerá entre os dias 19, 20 e 21 de maio de 2022, totalmente on-line e gratuito, e contará com a submissão de Relatos de Experiência e Revisões Bibliográficas, que serão publicados nos Anais do Conbrasie 2022, contando com ISSN e DOI.

    O objetivo do Seminário de Religiosidade e Promoção de Cuidado em Saúde é refletir o papel da religiosidade/religião na promoção de cuidado em saúde para além da teoria, discutindo os movimentos religiosos como promotores de cuidado, bem-estar e saúde nos territórios.

    Estarão presentes lideranças religiosas femininas, a fim de promoverem uma roda de conversa, mediada pela Professora Rosamaria Carneiro (UnB), sugerindo reflexões sobre o papel da mulher religiosa no cuidado em saúde. No segundo momento, movimentos religiosos trarão as suas experiências para uma mesa redonda, expondo ações e estratégias estruturadas/institucionalizadas nos territórios, tendo por mediadora a Professora Sandra Chaves (PUC-GO).

     

    Serviço: Seminário de Religiosidade e Promoção de Cuidado em Saúde.

    Data de Realização: 19, 20 e 21 de maio de 2022.

    Prazo para Submissão de Trabalhos: 09 de maio de 2022.

    Local: On-line.

    Inscrição: https://bityli.com/Religiosidade&Saúde

    Certificação emitida pela Universidade Federal de Goiás.

    Para mais informações, acesse https://bityli.com/ProjetoConbrasie

Ver todos

Fique Atento

  • exposição ambar

    Exposição "Com os pés plantados nas nuvens"

    24 Mar - 03 Jun

    exposição ambar

    O Centro Cultural UFG lança no dia 24 de março às 18h30, a exposição "Com os pés plantados nas nuvens", do Âmbar - Grupo de pesquisa em Práticas Artísticas da Faculdade de Artes Visuais da UFG. As visitações vão de 25 de março a 03 de junho de 2022. A exposição é a primeira do grupo, realizada no Centro Cultural da UFG e tem como intuito - além de  mostrar a produção artística de seus integrantes - tornar-se um lugar de encontro entre  pesquisadores, estudantes e comunidade, oferecendo conhecimentos acerca da  produção artística contemporânea. O Grupo Âmbar é um Grupo de Pesquisa em Práticas Artísticas formado por professores da  Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás com o objetivo de  desenvolver e aproximar ações de ensino, pesquisa e extensão. Neste sentido, busca dar visibilidade às produções de seus membros, tanto no âmbito acadêmico, quanto nos  vários espaços do circuito de arte.  

    A presente exposição é resultado de pesquisas que vêm se produzindo há pouco mais de um ano, e que teve uma primeira apresentação processual on-line em novembro de 2021. As obras apresentadas consideram o termo “âmbar” em seu sentido  ampliado, metafórico, temporal e único, simbólico e material, isto é, ligado à luz e à cor  do pôr-do-sol de Goiás, à resina extraída de árvores, com a qual se fazem pinturas,  gravuras, além de servir a receitas da medicina popular, como fazem os quilombolas, na  Chapada dos Veadeiros. 

    Assim, da variada possibilidade do uso da seiva e do âmbar enquanto cor, nasceram uma gama de possibilidades artísticas que foram pensadas e trabalhadas em  técnicas e materiais diversos a partir da prática pessoal de cada um dos membros do  grupo. Essa diversidade, representada por obras que vão do vídeo ao desenho, da  fotografia à performance, do texto à escultura passando pela instalação, é ancorada, porém, em um compromisso generoso entre o grupo, resultando em uma soma que fortalece cada um de seus membros. 

    Por fim, o título da exposição faz jus tanto aos tempos em que vivemos, porque estamos sempre prestes a cair, quanto ao ser nefelibata que é o artista, às vezes mais próximo do céu do que da terra. A vantagem é que o céu de Goiás é de uma beleza estonteante. Entre o pôr-do-sol e o anoitecer, na época em que as nuvens, gigantescas,  se deixam banhar pela cor do ocaso, deixamos que os sonhos nos atravessem e nos  guardem, como faz a resina do âmbar, que acolhe para sempre os segredos do tempo  no seu interior.

    Participantes: Adriana Mendonça, Eliane Chaud, Glayson Arcanjo, Maria Tereza  Gomes, Odinaldo Costa, Rubens Pileggi e Paulo Duarte-Feitoza. 

    Projeto Educativo: Valéria Fabiane. 

    Confira o folder da exposição

    Texto curatorial : Paulo Henrique Duarte-Feitoza  

    “Os trabalhos aqui apresentados, em toda sua heterogeneidade, procuram reavaliar, pensar e  criar a partir da luz, cor e materialidade âmbar, tão características do Brasil Central,  mergulhando, cada um à sua maneira, nas profundezas da criação.” 

    ambar

    ambar

    ambar

    Adriana Mendonça

     

    ambar
    Série Guardados de cor - Eliane Chaud
  •  Agrocentro2022.png

    Agro Centro-Oeste Familiar 2022

    18 May - 22 May

     Agrocentro2022.png

    Com o tema Diversidade, Sustentabilidade e Inovação, o Instituto Federal Goiano (IF Goiano) realiza a 19ª edição da Feira Agro Centro-Oeste Familiar. O evento ocorrerá de 18 a 21 de maio, no Campus Ceres. A programação contará com uma feira-livre de produtos da agricultura familiar, artesanato e praça de alimentação, além de palestas, minicursos, oficinas, dias de campo, estações tecnológicas, atividades artísticas, entre outros. Todas as atividades são gratuitas e a realização é uma ação conjunta com a Universidade Federal de Goiás (UFG) e entidades parceiras, como a Emater, Embrapa, Fetaeg.

    A Agro Centro-Oeste Familiar (Acof) tem se consolidado como um espaço em que os agricultores familiares, além de apresentarem sua produção para a sociedade, discutem as iniciativas públicas para o desenvolvimento rural e se tornam importante elo em sua construção. A Feira é um espaço de exposição e diálogo que almeja ser cada vez mais pautada pelos próprios agricultores. Para isso o evento tem buscado, desde o início de sua preparação, envolver na organização as cooperativas e segmentos organizados pela agricultura familiar.

    A partir de ações e temas priorizados pelos agricultores, a feira também incorpora outros autores-chave para o campo como órgãos de governo, empresas, gestores públicos e sociedade civil organizada, envolvidos na organização do evento e buscando aportar suas contribuições para os aspectos centrais pautados.

    Histórico

    A Feira Agro Centro-Oeste era realizada anualmente em Goiânia desde o ano 2000, em área da Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos da UFG. Além de promover a realização da feira e ceder o espaço para o evento, a universidade promoveu a mobilização dos expositores incluindo cooperativas de agricultores familiares e empresas de tecnologias e ajuda na preparação dos temas-chave a serem debatidos nos seminários. A partir de 2005, o enfoque da Acof se voltou para a agricultura familiar, por tratar-se de um segmento que apresenta significativa necessidade de apoio, atuando como uma oportunidade de afirmação e de exposição de seus produtos, além do espaço de negociação de políticas públicas nos seminários.

    A 12ª Edição da Feira, em 2014, foi sediada pela primeira vez no interior do Estado de Goiás, pelo IF Goiano, no Campus Morrinhos, mantendo o acesso a informações e tecnologias agropecuárias e com incentivo ao aumento na qualidade, produtividade e valor agregado aos produtos gerados por agricultores familiares.

    Em 2015 (13ª edição) voltou a ser realizada nas dependências da UFG, em Goiânia, onde atingiu recorde de público visitante e maior número de produtos comercializados. Nesta edição foi construída também a carta à sociedade da Feira da Agro Centro Oeste Familiar, onde se indicou os caminhos e desafios aos órgãos governamentais e a sociedade civil.

    Já a 14ª feira, em 2016, voltou a ser sediada pelo IF Goiano, mas agora no Campus Urutaí, com o tema central em Agroecologia, sendo um evento construído em parceira por grupos e núcleos voltados para o assunto.

    Na 15ª edição, em 2017, foi realizada no Centro de Eventos da UFG. O tema da edição  relacionou-se à inovação na produção por meio de sistemas e tecnologias voltados à produção familiar. O evento foi considerado um sucesso e teve público recorde.

    A 16ª ACOF foi organizada pela Universidade Estadual de Goiás na cidade de São Luís de Montes Belos, entre 09 a 11 de maio de 2018. A primeira edição sob a responsabilidade da UEG contou com uma inovação: a feira livre sendo realizada no período noturno, no Parque Bela Vista (Espelho D’água), objetivando maior visibilidade e melhor comercialização dos produtos. O tema deste ano foi: “Agricultura Familiar: oportunidades e desafios na produção de alimentos saudáveis”.

    Na 17ª edição, em 2019, a Agro Centro-Oeste Familiar voltou a ser realizada nas dependências da UFG, em Goiânia, mais especificamente no Centro de Eventos, local tradicionalmente usado para a realização da Feira, com mais de 80 expositores e cerca de 10.000 participantes.

    Na 18ª edição, em 2020, a Agro Centro-Oeste Familiar seria realizada nas dependências do Campus Ceres do IF Goiano, contudo devido à pandemia do Covid-19, o evento aconteceu parcialmente de forma virtual.

     

  • Minicurso 60+ 18-5-22

    Minicurso "60+: Desenhar para bem viver"

    18 May - 20 Jul

    Informações e inscrições: promocaosaude.dass@ufg.br

    Número de vagas: até 20

    Inscrição: gratuita

    Minicurso 60+ 18-5-22

     

    60+: Desenhar para bem viver

    Dass UFG em parceria com a FAV UFG oferece curso que tem como público-alvo aposentados, servidores da UFG 60+ e comunidade com mais de 60 anos

    O minicurso “60+: Desenhar para bem viver” propõe através do ato de desenhar, provocar novas maneiras de perceber o mundo e, desta forma, atuar nele. Serão 10 encontros, todas às quartas-feiras, no período vespertino, em cada um deles serão realizadas atividades práticas-orientadas, seguidas de reflexões sobre a experiência daquela prática realizada e o que elas provocaram.
    Espera-se que, ao compartilhar as experiências no ato de desenhar, representar o mundo e as emoções, que elas possam contribuir para abrir outras maneiras de ver, sentir e estar no mundo, além das das já sabidas e experienciadas.

     

    Fonte: Dass/Propessoas/UFG

Acompanhe a Acolhida 2022 para novos estudantes na UFG

A UFG

A Universidade Federal de Goiás foi fundada em 1960 com a fusão de cinco faculdades já existentes. Com 102 cursos de graduação, mais de 6 mil vagas disponíveis por ano na graduação e mais de 28 mil alunos, está presente nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia e Goiás. Além da graduação, a UFG oferece 78 cursos de pós-graduação entre mestrados, doutorados e mestrados profissionais.

Reitoria UFG
Localização
Regional Goiânia
Regional Goiás
Clique para carregar o mapa

Câmpus Samambaia

Avenida Esperança s/n

Câmpus Colemar Natal e Silva

5ª Avenida - Setor Leste Universitário

Câmpus Aparecida de Goiânia

R. Mucuri, s/n - St. Conde dos Arcos, Aparecida de Goiânia - GO, 74968-755

Clique para carregar o mapa

Campus Jatobá - Cidade Universitária

BR 364, km 195, nº 3800

CEP 75801-615

Campus Riachuelo

Rua Riachuelo, CP 03

CEP 75804-020

Clique para carregar o mapa

Campus I

Av. Dr. Lamartine Pinto de Avelar, 1120

Setor Universitário - CEP 75704-020

Campus II

Avenida Castelo Branco, s/n

Setor Universitário - CEP 75704-020

Clique para carregar o mapa

Avenida Bom Pastor, S/n - Setor Areião, Goiás