Novo HC UFG

Novo HC pode ser usado para tratar pessoas com Covid-19

Em 23/03/20 13:22. Atualizada em 24/03/20 17:23.

Para levar adiante iniciativa da UFG de enfrentamento à pandemia são necessários recursos para equipamentos e a contratação de pessoal

Novo HC UFG
Prédio do novo HC UFG (Fotos: Carlos Siqueira/Secom/UFG)

 

A Universidade Federal de Goiás (UFG) está disponibilizando ao Estado de Goiás, à Prefeitura de Goiânia e ao Ministério da Saúde o novo prédio do Hospital das Clínicas (HC-UFG), cujas obras físicas estão concluídas. O edifício, cuja inauguração estava prevista para o início do mês de abril, possui 20 andares, com a previsão para abrigar 600 leitos, sendo que desses, 120 são destinados a unidades de terapia intensiva (UTI). A proposta é de que toda a estrutura seja integralmente utilizada para tratar pessoas com o novo coronavírus. 

O reitor da UFG, Edward Madureira, observa que nos últimos meses a Universidade estava com um trabalho avançado de organização da mudança da atual sede para a nova unidade. "A partir da chegada da doença a Goiás e do reconhecimento da OMS [Organização Mundial de Saúde] de que de fato é uma pandemia e diante de toda a gravidade da situação, decidimos oferecer a unidade para ajudar no tratamento de pessoas com Covid-19”, pontua. 

Edward comenta que se trata de uma decisão administrativa, tomada a partir da consulta a pessoas da Universidade, principalmente da área de saúde, e a receptividade foi positiva. O passo seguinte foi o envio de ofícios disponibilizando o HC-UFG ao Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, presidente da Diretoria-Executiva da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares  (Ebserh), Oswaldo de Jesus Ferreira, ao prefeito de Goiânia, Íris Rezende, secretário Estadual de Saúde, Ismael Alexandrino Júnior, secretária Municipal de Saúde de Goiânia, Fátima Mure, e a coordenadora da Bancada Federal de Parlamentares do Estado de Goiás, deputada Flávia Morais (PDT).

De acordo com o ofício, é necessário um aporte de recursos da ordem de R$ 37 milhões para aquisição de equipamentos, dentre os quais, 78 leitos de UTI e 522 leitos de internação, considerando a possibilidade de se colocar dois leitos por apartamento. Para colocar esta estrutura em funcionamento seria necessário a contratação ou disponibilização de cerca de 1.000 enfermeiros, 1.300 técnicos em enfermagem e 60 médicos. Caso a opção seja pela contratação dos profissionais, esta poderá ser feita em caráter emergencial e temporário pela Fundação de Apoio aos Hospital das Clínicas da UFG (Fundahc) ou pela Ebserh.

Para acessar o ofício enviado ao governador de Goiás, clique aqui.

Fonte: Secom/UFG

Categorias: NOTÍCIAS Reitoria HC/UFG Coronavírus